sexta-feira, 30 de outubro de 2009

MODA DE ROUPAS CURTAS PROVOCA POLÊMICA...

O assunto de certa forma causou polêmica, pois virou pauta (de jornais, programas, etc) em toda a rede nacional. Trata-se da Estudante de 20 anos do curso de turismo que foi hostilizada por alunos na quinta-feira (22/10) por usar roupa curta na Uniban, em São Bernardo do Campo, no ABC.
VEJA MATÉRIA NO SITE DA GLOBO: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL1360821-5605,00-COSTUMO+USAR+VESTIDOS+CURTOS+E+CALCAS+APERTADAS+DIZ+ALUNA+HOSTILIZADA+NO+AB.html


Estamos numa época mais democrática, onde quase tudo é permitido como por exemplo, ser filmado e postar na internet e ainda ganhar seus "15 minutos" de fama (segundo previsões de Andy Warhol) pelo mundo todo.
Mas, o assunto aqui será focado no "modos do vestir". Partindo do pressuposto de que a indumentária (vestuário) e o adorno (ornamento), é também um meio de expressão da nossa cultura, hábitos, costumes, dentre outros.
A moda comunica em vários canais de percepções, utilizadas pelos inúmeros sub-grupos que compõem uma sociedade. E essa moda se disseminou através da cultura do efêmero, na contemporaneidade, pela necessidade de mudanças de tendências do mercado, exigida pela cultura do consumismo capitalista.
Para alguns a moda é vista com preconceito não pela efemeridade, mas, por estar vinculada à valorização da estética, do superficial - roupa escondendo algo - “ser o que quiser”.
Mas o que dizer desse fenômeno social recente? Onde seu sistema é proposto principalmente pelas indústrias, num processo de efemeridade com interferências do comportamento social, dentre outros fatores.
Lipovetsky em sua obra “O império do efêmero” explica o caráter da fascinação pelo novo que é enfatizado na moda atual. E que essa ambigüidade da moda está no fato de propor padrões do vestir e ao mesmo tempo da diferenciação no processo de individualização, no qual a escolha deveria ser mais subjetiva e não simplesmente se apropriar dos códigos impostos pela moda.
E a moda hoje? A jovem vê vestidos curtos propotos nas revistas de moda, nas passarelas, usados pelas celebridades, personagens de novelas, etc. E ninguém faz críticas maldosas que não ultrapassem apenas a questão da estética ( quem "fica ou não bem no vestido colado"?, se tem ou não celulite, etc). Mas, jamais desrespeitar da forma que foi feito com a estudante...
Aí fica a pergunta no ar, qual o problema de ser diferente ou vestir-se de uma forma que se diferencie?
O que realmente faltou ? Respeito é primordial...

4 comentários:

Denise Melo disse...

assim, acho q existe lugares em q vc pode usar um roupa curta sim, mas nada que seja vulgar, acho q em trabalhos nao é legal, pois vc esta ali para mostrar seu trabalho e nao seu corpo, ja em escolas e faculdades acho q deve ter um meio termo, nada muito curto e nada muito longe, já se vc vai pra uma balada, acho legal colocar uma roupa mais curta, pra ficar ate um pouco mais sexy...essa é minha opinião, mas cada um tem a sua. abs

Denise Melo

Isa Arnour disse...

Com certeza o RESPEITO ao ser humano deve ficar acima de qualquer conceito de moda ou modismo.

Contudo, a própria estudante admitiu que após a faculdade iria a uma festa. Qual o jovem que nunca isso, de ir estudar e depois sair pra balada?

Penso que todo radicalismo ou excesso prejudicam, mesmo que o vestido estivesse curto demais, independente disto vivemos numa sociedade de direito democrático, logo se o vestido tinha um palmo, problema de quem vestiu, vamos respeitar!

Isa Arnour
Jornalista

thiagokunz disse...

Concordo com você Tânia. Não acho que a roupa escolhida pela estudante foi adequada para o ambiente escolar. No entato, a reação das pessoas foi completamente assustadora. Gostaria que essa turma fizesse isso quando achassem um deputado com dólares nas roupas de baixo ou quando encontrassem castelos construídos com dinheiro público. Espero que esse caso nos nos faça pensar sobre o que realmente deve nos deixar enraivecidos.

Pi disse...

Não vejo problema em se vestir diferente nem em querer se destacar, mas acho que junto com isso tem que ter discernimento para saber que em certas ocasiões eu posso eu eu não posso usar X roupa.
Sou de Bélem e tenho 13 anos, quero fazer faculdade de moda e tenho um blog aonde escrevo sobre vários assuntos e entre eles moda. Ele é voltado para o publico adolescente e tem uma linguagem muito mais simples; e eu não falo apenas de m tendências. Mas mostro o que é a moda, e tudo o que acontesse por traz da passarela. Se puder visitar
www.vivopensandoque.blogspot.com
Beijos
PI